terça-feira, julho 04, 2006

O Engenhoso Fidalgo

O ENGENHOSO FIDALGO - Lázaro Barreto.


Como os velhos senhores dos arraiais mineiros
que não comem nada amanhecido
que pedem água à mulher na janela da casa
não pela sede da água
mas pela fome da mulher....:
Ele reassume a juventude, ainda que tardia
possuído de nova força e de altiva lucidez.

Pertinaz enamorado das virtudes
escanchado no trotão cochilante,
Ele, Tiradentes daqui, Dom Quixote de lá
a socorrer os desvalidos e os injustiçados
a investir contra os moinhos de ferro em brasa
Às vezes moído de pancadas, os miolos minguados
mas nunca rendido aos vilões contumazes.

Dom Quixote das manchas espanholadas
Tiradentes dos prados e rios das mortes
Um e Outro, aqui e lá
afrontadores de perigos, amparo dos inocentes
a repetirem a saga andante das proezas
a relavrarem as terras exauridas:
nenhum deles poupa a vida para ganhá-la
inteiramente (mesmo morrendo),
como Jesus em plagas distanciadas,
uma vez encantados, a cantar a vida.