segunda-feira, novembro 25, 2013

QUEM NÃO AMA GUIMARÃES ROSA? VAMOS À FONTE DO AMOR? 10/03/2012



“Amar é querer se abraçar como o pássaro que voa.... Espero a lua nova como o cão espera o dono.... Podia ser um caranguejo ou um coração.... O peixe sem rastro na água sem nenhuma memória.... O esquecimento é voluntária covardia.... Se todo animal inspira sempre ternura, que houve, então, com o homem?....O medo grande que de dia e de noite esvoaça pousa na testa da rês como uma dor.... Também os defeitos dos outros são horríveis espelhos.... A queda do Homem persiste, como a das cachoeiras.... Nós todos viemos do Inferno; alguns ainda estão quentes de lá.... Os santos foram homens que alguma vez acordaram e andaram nos desertos de gelo.... Não ter medo: o mar não se destrói com nenhuma tempestade.... As velhas pedras influem, como os astros; mas só as árvores convivem com a terra impunemente.... A memória nem mesmo sabe andar de costas: o que ela quer é passar a olhar apenas para a diante.... Aviso: as sombras todas se equivalem.... Só as pessoas não morrem: tornam a ficar encantadas.... Que vamos, que vamos, até os ponteiros estão afirmando.... Só na foz do rio é que se ouvem os murmúrios de todas as fontes.... A água que não teme os abismos: a grande incólume.... O bagre tem sempre as barbas de molho.... Em alguma treva – como os mariscos no rochedo – as almas estarão secretando seus possíveis futuros corpos?

1 Comments:

Blogger Ducartucho estevam said...

Olá Lazaro!

Preciso muito entrar em contato com você!

Gostaria de mais informações sobre o livro Memorial do Desterro. Este livro chegou em São Paulo, em minha familia, mas foi extraviado, e infelizmente não consegui ler. Sei dizer que neste livro fala um pouco sobre o inicio de minha familia. Não sei ao certo, mas fala sobre meus avós, Maria de Lourdes Guimarães e Antonio de Souza. Aguardo ansiosa por um contato. Obrigada!
magali_goncalves@hotmail.com

7:54 PM  

Postar um comentário

<< Home