quinta-feira, janeiro 18, 2007

Poema Espontâneo

POEMA ESPONTÃNEO - Lázaro Barreto.

As linhas retas são atalhos que levam ao destino comum.
As linhas curvas são retalhos que vestem
a mente (mentirosa? verdadeira?)
dos destinos incomuns.

Quantas vezes, desvencilhando de vis emboscadas,
perdemos até o que não tínhamos,
nos entroncamentos arrevesados das artérias
enganadoras?
Às vezes defrontando a beleza perdemos
a compostura.
E no deleite total das regalias
confirmamos o até então não sabido,
assim aereamente experimentado.