terça-feira, março 24, 2009

A POSTERIORI - Lázaro Barreto.


Quem disse que todo animal fica triste depois do coito?
Nem todo, eu digo.
Nem todo entristece posteriormente.
Aprendi desde muito cedo na vida
(e disso nunca esqueço),
que a boa transa sexual
(aquela demorada, ardente),
ah!
quando o espírito sai do corpo
e adormece um pouco ou muito
na gostosa inexistência do ser e do estar,
ah!
é neste desmaiado instante de exceção
que o espírito se transforma em alma
e então,
aí sim,
o repouso é necessário para se obter o novo impulso
de viver.
Aí então
a paz que advém do aguerrido transe
abençoa tudo que a memória recapitula:
a própria terra como um todo
(agora toda revolvida em fértil lavoura),
o próprio céu como um todo,
(agora chegando com o sol e a chuva da concupiscência)
derramando o bálsamo da poesia feminina
na prosa masculina
de todo relacionamento humano na face da terra.

1 Comments:

Anonymous Inês said...

O que se pode querer
de melhor,de pleno,
de amorável,de amoroso,
saber-se,assim,parceira
de transa/transe/sonho?
Beijos e beijos.
Inês

12:27 PM  

Postar um comentário

<< Home