segunda-feira, outubro 24, 2011

Fatos e Pessoas, Eventualmente

Marilyn Monroe.
Sempre pensei que ela mantivesse, iluminando a efervescência sensual uma boa parcela do componente anímico que eleva a sexualidade a um nível poético e não apenas frenético. Mas o que mais transparece em sua biografia é que ela era muito mais uma devoradora de homens do que uma encantadora de homens. Na condição de fã encantado pela beleza dela, sinto-me enganado com a imagem mais frequente dela: muito mais sobre a cama do que sob a câmera.

Millôr Fernandes.
Onde andará? Que falta ele faz na boa imprensa brasileira. Que ele iluminou desde os tempos da Revista O CRUZEIRO, de ótima memória. Lembro-me de uma piada que ele publicou quando o tal de Sarney assumiu a presidência da república divulgando o slogan de que ia fazer um saneamento em todo o Brasil. A propósito o Millôr desenhou o mapa do Brasil em forma de um queijo com um rato de cada lado, um falando pro outro:”sarneia daí que eu sarneio daqui”.

A DESEDUCAÇÃO.
“A escola particular no Brasil é melhor do que a pública porque esta não pode dispensar o mau professor e aquela pode” – eis uma verdade bem dita por Gustavo Ioschape.

A CASA DA MÃE JOANA.
Existem espantosos 25.000 cargos importantes no governo federal, criados na malévola era lula, à disposição de indicações políticas sem a obrigatoriedade de requisitos profissionais. Os amantes da vida mansa tornaram-se petistas sabendo de antemão do farto usufruto.

A FILOSOFIA DO PILANTRA.
Um colunista social talentoso, dinâmico e bem situado, de vez e quando desafinava, pregando abertamente a filosofia da Vaca: “cagando e andando”. Igualzinho alguns líderes de fachadas, que trepados em altos cargos mordômicos tanto mal faz a deus e a todo o mundo.

ÍTALO CALVINO:
“Só podemos pensar o mundo através de figuras humanas, de resmungos humanos. (...) O que nos interessa é o mosaico em que o homem está encaixado, o jogo de relações, a figura a ser descoberta entre os arabescos do tapete”.

ITALO CALVINO DE NOVO:
“Assim como o escritor não encontra alguma coisa absoluta, o cientista também tem a modéstia de considerar o resultado de seu trabalho como parte de uma série infinita de aproximações”.(As duas citações foram transcritas do livro “Assunto Encerrado – Discursos sobre Literatura e Sociedade”, trad. de Roberta Barni, Edit. Cia. Das Letras, São Paulo, SP, 1980.

LARS Von TRIER, cineasta dinamarquês:
“Se Deus criou a vida, ele a largou correndo por aí, sem pensar no fato de que criou seres que sabem que cada passo deles causa o sofrimento de uma planta, de um animal ou de um outro homem”.

A ESTRELA DESNUDADA.
Palavras de Marilyn Monroe, segundo Lars Von Trier: “Se você não agüenta o meu pior, não merece o meu melhor”.