sábado, junho 17, 2006

Quando Ela Vem de Azul

QUANDO ELA VEM DE AZUL - Lázaro Barreto.


Porque a pétala desenha os olhos no rosto
do caos a luz refulge
então
alguém reassume a função de esteta
volta ao círculo das vezes sem fim
e de fora
depura o mais fino interior.

Assim
a paineira sacode as painas
do caos a luz refulge
e a terra em toda parte
acalenta os filhos no ventre profundo
então
a linha verde do horizonte
desenha no frio o calor
do corpo reavivado.