sexta-feira, julho 31, 2009

CANÇÃO RURAL - Lázaro Barreto.


Nesta manhã de noites tão femininas,
com o sol molhado ao jorro das neblinas:
Um canto que responde a outros cantos
audíveis na vivência de meus espantos.
Depois
uma estrela no meio-dia que passa
sobre um roçado desfeito em fumaça...
Pergunta ao fazendeiro e ao delegado
o que fizeram das árvores no cerrado...
Depois
Passo a passo o vento me acompanha.
A hora é cedo na cabeça da montanha.
Uma palavra me espera na porteira:
é um sigilo de uma flor na trepadeira?