quarta-feira, março 10, 2010

TRANSPONDO O INTERIOR - Lázaro Barreto.


À Pintora Maria Helena Medeiros Oliveira.


A arte visual de Maria Helena tenta captar o momento e o lugar
para fixá-lo (perpetuà-lo) na realidade consciente com o mesmo brilho
das superfícies e relevos dos lugares em determinados momentos.
É um colorido buliçoso, o realismo da alegria.
As cores são as coisas, não apenas nas superfícies.
Uma apologia da chamada vida cor de rosa?
Maria Helena é assim: clara e evidente na criatividade,
transpondo o interior para o exterior
e vice-versa,
sem arranhar os mistérios, sem perseguir os subterfúgios.
Um parto sem dor de criaturas felizes?
Assim é o jogo das cores da realidade:
uma fantasia para sempre imprecisa na dualidade: metade sonho, metade realidade.