terça-feira, junho 01, 2010

SUTILEZAS - Lázaro Barreto.

A felicidade entre os amantes se concretiza quando ambos
carregam um histórico diversificado, atraente.
Uma insinuação de preliminar afetiva
prenunciando a implícita preliminar sensual...
A afetiva advém do olhar enigmático?
Do olhar de outros segredos e mistérios?
As cores e os perfumes de flores inexistentes
de jardins circunvizinhos?...
As palavras e os silêncios apenas intuídos...
Uma vontade ao encontro de outra vontade:
a pêra e o caju na meia-luz de um pomar?

A preliminar afetiva é bem conhecida.
Vem e chega naturalmente.
Acasala propensões e afinidades
(a mão direita no queixo, nela;
o piscar de um dos olhos, nele).
O mesmo gosto do arroz-doce na sobremesa...
O mesmo calor depois da frieza....

A preliminar sensual é o segredo alarmante,
embutido de alma no corpo de cada um deles...
Como ela será no começo, no meio, no apogeu?
(ele se pergunta).
Inibida? Espontânea? Expectante?
Uma linha de luz na testa pegando fogo
pelo corpo afora e pelo corpo adentro?
Como serei diante dela? (Ele se pergunta).
Assim mesmo como sou: afogueado
e nada lúcido? Doido varrido na deliberação?
Incontido na euforia?

A felicidade do amor não devia morrer
no relance
nem no orgasmo.
Devia resguardar seus tônicos e clarões,
indefinidamente.