terça-feira, dezembro 21, 2010

TEMPORADA NA ROÇA - Lázaro Barreto.


A Chuva:
ela agora (depois de prover-se na lagoa),
recompõe nossas células, refresca
nossa chama mórbida (a tensão defensiva).
Os patos ficam mais alvos na lagoa,
um bambu canta na moita, ao lado,
a manga amadurece de repente no pé altaneiro.

A Chuva:
ela agora reúne as fases do tempo
e malha o nosso coração de ferro.
Umedece as estruturas metálicas da modernidade,
lava o ar e o chão
da cidade que nos entorpece.

Agora,
sem resíduos e aderências,
ela está vindo de outro século
para molhar a grama do terreiro de nossa casa.
Depois voltará ao mar distanciado,
e no-la esqueceremos,
até que retorne.