quarta-feira, dezembro 15, 2010

TRANSES E NUANCES - Lázaro Barreto.


As canetas escrevendo poemas obscuros
As maçãs compulsivas dos ramos eróticos
O fluxo e o ímpeto
As vias literárias da melhor aclimatação
As meiguices e os chamegos
As floradas imarcessíveis
As orquídeas de plantão em vasos solitários
As posições do belo prazer
As teorias das boas conjunções
As interjeições no limbo da sensualidade
As alucinações oníricas
As perversões recalcitrantes
As intrínsecas afinações
As omissões impensadas
As recíprocas penetrações
As saudações retrógradas
As pueris abstrações
As obnubilações latentes
As antecipadas mentalizações
As espontâneas conjugações
As gozações revezadas
As exaltações
As airadas manifestações
As infindáveis carícias
As recriações específicas
As orquestrações românticas
As florações primaveris
As coalizões amaciantes
As indefinidas visualizações
As crispações extemporâneas
As categorias gramaticais
As deliciosas absorções
As encantações enluaradas
As inseparáveis comichões
As ativações ininterruptas
As interações proporcionais
As coleções memoriais
As afinadas cantações
As airadas desnudações
As sintonias das felicitações
As procriações metafísicas
As inefáveis perorações
As incumbências afrodisíacas
As lautas refeições da libido
As impossíveis finalizações
da felicidade.